IPCA
-0.04 Set.2019
Topo
Blog Todos a Bordo

Blog Todos a Bordo

Viagem de avião nas férias? Lembre-se de novas regras para menores e malas

Vinícius Casagrande

03/07/2019 04h00

Alta temporada tem novas regras para menores desacompanhados e bagagem de mão (Divulgação)

O mês de julho é um dos mais movimentados nos aeroportos do Brasil e marca um pico de temporada de viagens no país. No ano passado, por exemplo, houve um aumento de 27% em relação a junho, segundo dados da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), e só ficou atrás de janeiro no número de passageiros no país.

A alta temporada deste ano será a primeira desde que as companhias aéreas aumentaram a fiscalização em relação ao tamanho da bagagem de mão e desde a entrada em vigor das novas regras para a viagem de menores desacompanhados. Típicos nessa época do ano, os nevoeiros matinais também merecem atenção e paciência dos passageiros.

Leia também:

O que define uma aérea de baixo custo, que o Brasil tanto quer?

Bahrein afunda Boeing 747 para criar parque de mergulho; veja vídeo

Aéreas brasileiras ganham R$ 1 bi de cobrança de mala e marcação de assento

Veja algumas dicas para evitar problemas nos aeroportos durante as férias.

Bagagem

Para evitar pagar pelo despacho de bagagem, muitos passageiros passaram a viajar somente com a mala de mão. Mas é preciso ficar atento ao tamanho máximo permitido: 55 centímetros de altura, 35 centímetros de largura e 25 centímetros de profundidade. Essas medidas têm de somar tudo, incluindo as rodinhas e a alça. Além disso, a mala de mão pode ter, no máximo, dez quilos.

Divulgação/Abear

Nos 15 principais aeroportos brasileiros, a Abear (Associação Brasileiras das Empresas Aéreas) utiliza uma caixa que serve de gabarito para medir se as malas estão dentro do tamanho permitido. Se a mala couber nessa caixa, o passageiro poderá embarcar normalmente. Se a bagagem não entrar, é porque ultrapassa o tamanho permitido, e o passageiro terá de voltar ao check-in para fazer o despacho da mala e pagar a taxa cobrada pelas empresas.

O diretor de aeroporto da Latam afirmou que a ação continua nesse período de alta temporada, mas avalia que o passageiro brasileiro está mais adaptado às regras para o transporte de malas. "No primeiro momento, havia mais gente levando bagagem para dentro do avião, mas hoje já há uma adaptação muito maior. A gente vê o comportamento aqui no Brasil se aproximando de países que já têm essa regra funcionando há muitos anos", afirmou.

Walker recomenda que o passageiro verifique se o bilhete permite ou não o despacho de bagagem. Caso necessite adicionar mais volumes de bagagem, a orientação é que a compra seja feita com antecedência. "Fazer a compra antecipada é muito mais cômodo e também sai mais em conta do que fazer no aeroporto", disse.

As companhias aéreas cobram R$ 60 para pagamentos feitos com antecedência e R$ 120 no balcão de check-in do aeroporto para o despacho de uma mala de até 23 kg.

Menores desacompanhados

Desde março, o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) passou a exigir uma autorização judicial para que menores de 16 anos possam viajar desacompanhados dos pais ou responsáveis dentro do Brasil. A lei anterior exigia autorização judicial apenas para menores de 12 anos. Em viagens internacionais, a autorização judicial é obrigatória para menores de 18 anos.

Antes do embarque, é necessário entrar com um pedido na Vara da Infância e Juventude. A autorização pode demorar cerca de dois dias para ser emitida.

O diretor de aeroportos da Latam afirmou que essa é uma das principais preocupações da companhia para esse período de alta temporada. "A Latam transporta 15 mil menores desacompanhados por ano, mas 7.000 são apenas no mês de julho", afirmou.

Documentação e vacina

Mesmo os maiores de 16 anos precisam ficar atentos à documentação exigida para o embarque. Em voos nacionais, basta um documento oficial com foto em bom estado. "O problema maior é para os voos internacionais", alertou o diretor de aeroportos da Latam.

Nos países do Mercosul, é necessário o passaporte ou RG com menos de dez anos de expedição (CNH não é válida para viagens internacionais). Nos demais destinos, o passageiro deve ter passaporte válido, em alguns países, por até seis meses após a data de volta da viagem.

"As exigências variam de acordo com o país. Por isso, a recomendação é que o passageiro verifique os detalhes no site do consulado do país para o qual vai viajar", afirmou Walker.

Além dos documentos de identificação, alguns países também exigem certificados de vacina. Desde o dia 10 de maio, por exemplo, o ministério da saúde pública do Paraguai passou a exigir o certificado internacional de vacinação contra febre amarela de todos os passageiros com mais de um ano de idade e que estejam viajando entre o Brasil e o Paraguai.

Outros países podem exigir outros tipos de vacina. A recomendação é que as exigências também sejam verificadas nos consulados de cada país. "Também é preciso ficar atento ao tempo de incubação. No caso da febre amarela, são dez dias. Depois de tomar a vacina, é necessário ainda acessar o site a Anvisa para trocar o comprovante pelo modelo internacional", afirmou.

Nevoeiros comuns nessa época

Durante o inverno, é comum os aeroportos de regiões mais frias ficarem fechados por conta dos nevoeiros. Eles ocorrem após noites frias, sem nuvens e vento calmo e só se dissipam quando a temperatura começa a aumentar. São mais comuns nas cidades da região Sul do Brasil.

Passageiros que já tenham voos marcados nessas regiões para as primeiras horas da manhã devem ficar preparados para a possibilidade de atraso do voo. "Estamos sempre atentos a essa situação e reforçamos as equipes de solo e de voo, além de termos aviões reserva. Mas no caso de nevoeiros, é necessário um pouco de paciência do passageiro", disse Walker.

Alta temporada terá 5.500 voos extras

Para atender ao aumento da demanda, as três principais companhias aéreas brasileiras (Latam, Gol e Azul) vão realizar mais de 5.500 voos extras com um total de 850 mil assentos adicionais. Serão 2.284 voos da Azul, 2.320 voos da Gol e 905 da Latam.

Segundo o diretor de aeroportos da Latam, Rafael Walker, as regiões mais procuradas nessa época do ano para destinos nacionais são cidades do Nordeste e Porto Alegre (RS). "São muitos passageiros que visitam Gramado", disse. Nos destinos internacionais, os mais procurados são Buenos Aires (Argentina), Santiago (Chile) e Orlando (EUA).

Por outro lado, será o primeiro período de alta temporada sem a presença da Avianca no mercado brasileiro. Em processo de recuperação judicial, a Avianca teve suas operações suspensas no final de maio pela Anac. Em julho do ano passado, a Avianca teve 12,7% de participação no mercado.

Sobre o blog

Todos a Bordo é o blog de aviação do UOL. Aqui você encontra notícias sobre aviões, helicópteros, viagens, passagens, companhias aéreas e curiosidades sobre a fascinante experiência de voar.

Mais Todos a Bordo