PUBLICIDADE
IPCA
-0,31 Abr.2020
Topo

Como a Esquadrilha da Fumaça escreve no céu?

Todos a Bordo

24/07/2016 06h00

Imagem: Getty Images

Imagem: Getty Images

Além das acrobacias, os aviões da Esquadrilha da Fumaça brasileira costumam escrever mensagens no céu durante suas apresentações. Geralmente, são frases homenageando o país (como "pátria amada, Brasil" ou "somos todos Brasil"), as cidades por onde passam ("Eu amo Brasília") ou campanhas (como "todos contra o Aedes" ou "zica zero").

Embora pareça complicado, o processo para a escrita é mais simples do que muitas manobras feitas por esses pilotos. A maioria das ações são controladas via computador.

Como ensinar o avião a escrever?

Geralmente, quem determina o que será escrito é o Centro de Comunicação Social da Aeronáutica, a Seção de Operações e a Seção de Comunicação Social da Esquadrilha da Fumaça.

Depois de escolhido o texto, é preciso calcular a quantidade de fumaça (feita a partir da queima de óleo) e em que intervalo de tempo ela deve ser liberada pelo avião para formar as palavras no céu. Esse cálculo é feito por um programa de computador chamado Proesa (Programa de Escrita Aérea). O software foi criado em 2013 pela Embraer, fabricante do avião A-29 Super Tucano , usado pela Esquadrilha.

Após o cálculo, os dados são salvos em uma espécie de pendrive e transferidos para o computador de cada um dos sete aviões que fazem parte da apresentação. Cada pendrive é capaz de carregar até 12 frases, ou seja, é possível escrever até 12 frases diferentes em um mesmo voo.

Cada letra tem, aproximadamente, 100 metros de altura. Algumas frases chegam a ter um comprimento de três quilômetros. A ideia é que não sejam formadas frases muito longas para que a fumaça não desapareça antes mesmo de a frase ficar pronta.

A vez dos pilotos

A uma altura de mais ou menos 2.440 metros, os sete aviões se posicionam uma ao lado do outro, com uma distância de três metros entre eles e uma velocidade de 370km/h. Essa formação é chamada de "linha de frente".

A partir do comando de um dos pilotos, cada avião começa a liberar (e deixa de liberar) pequenas quantidades de fumaça, de acordo com as instruções que recebe do computador de bordo. Para isso, o piloto precisa apenas apertar um botão no manche. 

Essas pequenas quantidades de fumaça, quando vistas de longe e juntas, formam as palavras.

A primeira escrita que a Esquadrilha da Fumaça fez foi sobre a praia de Copacabana, no Rio de Janeiro (RJ), em 1956. Quatro aviões NA T-6 escreveram "FAB" no céu.

A Esquadrilha da Fumaça

O nome oficial da Esquadrilha da Fumaça é Esquadrão de Demonstração Aérea. Criado em 1952, o grupo é responsável pela divulgação da Força Aérea Brasileira (FAB) no Brasil e no exterior, participando de eventos aeronáuticos em diferentes países.

A esquadrilha é composta por 13 pilotos altamente treinados e capacitados e sua sede fica em Pirassununga (a 211 km de São Paulo). Também há uma equipe de especialistas responsáveis pela manutenção dos aviões, que são chamados "Anjos da Guarda".

Fonte: Força Aérea Brasileira

Leia também: 

Carro voador é novidade? Modelos já existiam desde a década de 1930

Airbus usa drone para inspecionar avião, e tempo é cortado de 2h para 15min

Azul terá opção de assentos que viram cama na econômica para EUA e Portugal

Fabricante de bancos de Ferrari propõe airbags na primeira classe de aviões

Super Bowl, F1 e Davos estão entre os destinos mais populares dos jatinhos

EUA tinham voo só para homens com bebida grátis e charuto liberado a bordo

 

Sobre o blog

Todos a Bordo é o blog de aviação do UOL. Aqui você encontra notícias sobre aviões, helicópteros, viagens, passagens, companhias aéreas e curiosidades sobre a fascinante experiência de voar.

Todos a Bordo