IPCA
0.13 Mai.2019
Topo
Blog Todos a Bordo

Blog Todos a Bordo

Credores avaliam hoje medida que pode definir destino da Avianca

Alexandre Saconi

2005-04-20T19:04:00

05/04/2019 04h00

Avianca passa por processo de recuperação judicial desde o final de 2018 (Foto: Diego Padgurschi/UOL)

Os credores da Avianca devem votar hoje um novo modelo para facilitar a venda da empresa, que está em recuperação judicial. A companhia seria fatiada em pedaços para ser comprada por diferentes grupos. Isso despertou o interesse de Gol e Latam. Anteriormente, a Azul já havia manifestado a intenção de comprar a parte produtiva da Avianca.

O novo plano de recuperação irá dividir a atual Avianca em sete fatias, chamadas UPIs (Unidades Produtivas Isoladas, como define a lei de falência e recuperação judicial). Cada uma poderá ser adquirida de maneira individual pelas empresas interessadas em oferecer lances em um leilão que ainda precisa ser aprovado na assembleia geral de credores hoje.

Leia também:

Se os credores aprovarem esse fatiamento e a venda por meio de leilão, a chance de as rotas deixarem de ser operadas diminui, e a empresa permaneceria funcional até sua venda total, segundo fontes ouvidas pelo UOL.

Entenda o fatiamento

A Avianca deve ser fatiada em sete pedaços: um deles terá o programa de fidelidade Amigo. Haverá outros seis blocos: cada um terá algumas rotas, funcionários e autorizações para realizações dos voos.

Quanto às rotas a serem distribuídas nas seis fatias, todas contarão com trechos nos aeroportos de Congonhas e Guarulhos, em São Paulo, e Santos Dumont, no Rio de Janeiro. Com isso, a oferta se tornaria mais interessante para as empresas interessadas no leilão, pois cada uma das fatias possui atrativos relevantes, com aeroportos de grande movimentação.

A divisão também deve evitar problemas junto ao Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica). Se só uma empresa comprasse tudo, o Cade poderia considerar que estaria havendo concentração de mercado.

Participação de outras empresas facilita venda

Para Jerome Cadier, CEO da Latam, com a divisão da Avianca em unidades menores, fica interessante participar do leilão. "A Latam se comprometeu em, pelo menos uma dessas UPIs, fazer uma oferta de, no mínimo, US$ 70 milhões. […] Até lá [o momento do leilão], vai ter bastante estratégia, e vamos analisar quanto estamos dispostos a pagar", diz Cadier.

O executivo ainda destaca que há pressa na compra das fatias da Avianca, já que a demora pode representar mais custos para manter a empresa funcionando.

A Azul informou que está acompanhando os próximos passos da recuperação judicial da Avianca e que irá aguardar o resultado da reunião dos credores. Procurada, a Gol não indicou um representante da empresa para falar com a reportagem.

Como é o teste de um avião novo, que inclui até queda de barriga

UOL Notícias

Sobre o blog

Todos a Bordo é o blog de aviação do UOL. Aqui você encontra notícias sobre aviões, helicópteros, viagens, passagens, companhias aéreas e curiosidades sobre a fascinante experiência de voar.