Todos A Bordo

Companhia aérea oferece voos ilimitados por US$ 1.950 e aceita até bitcoin

Todos a Bordo

Surf Air vende voos ilimitados em aviões executivos (Divulgação)

Serviços de internet como Netflix e Spotify se popularizaram ao oferecer acesso ilimitado ao seu conteúdo por uma assinatura mensal. A companhia aérea Surf Air, com voos nos Estados Unidos e na Europa, adota o mesmo modelo de negócio para seus passageiros.

Com uma assinatura mensal a partir de US$ 1.950 (R$ 6.500), os passageiros têm direito a voos ilimitados dentro das rotas da companhia, voando em aviões executivos como o jato brasileiro Embraer Phenom 300 ou o turboélice suíço Pilatus PC-12.

Com o conceito “all you can fly” (tudo o que você puder voar), no início deste mês a empresa passou a aceitar as moedas virtuais bitcoin e ethereum como meio de pagamento.

Leia também:
Quer economizar na passagem aérea? Aprenda a usar programas de fidelidade
Veja 5 dicas para deixar seu voo mais confortável, até na classe econômica
Qual avião é mais seguro de voar: um grande ou um pequeno?

Rotas operadas pela Surf Air (Divulgação)

Voos ilimitados nos EUA e Europa

O plano de assinatura foi lançado nos Estados Unidos em 2013 com voos apenas dentro do Estado da Califórnia. Os passageiros do plano básico (US$ 1.950) têm opção de voar entre as cidades de San Francisco, Los Angeles, Santa Bárbara e Carlsbad.

No plano “preferencial”, por US$ 2.450 (R$ 8.170), há também voos para Truckee, Napa, Monterey e Las Vegas, no Estado de Nevada.

Em meados deste ano, a empresa começou também suas operações na Europa, inicialmente ligando apenas Londres (Reino Unido) a Zurique (Suíça). A Surf Air tem planos de expandir suas rotas para Milão (Itália), Munique (Alemanha), Cannes (França), Ibiza (Espanha), Dublin (Irlanda), entre outros destinos, mas ainda sem data definida.

O plano de assinatura europeu custa 3.150 libras esterlinas (R$ 14.000), mas o passageiro também pode utilizar todas as rotas dentro dos Estados Unidos. A empresa, no entanto, não liga a Europa aos Estados Unidos.

Aviões menores, voos mais rápidos

A companhia aérea aposta também nos aviões executivos para atrair clientes que viajam com frequência. O público-alvo da Surf Air são empresários e executivos que precisam de agilidade, fazem sempre a mesma rota, mas ainda não possuem um avião próprio.

Como utiliza aviões e aeroportos executivos, o tempo total da viagem também é bem menor em relação às companhias aéreas tradicionais. Em um voo entre Londres e Zurique, por exemplo, o passageiro pode chegar meia hora antes da decolagem do avião, sem passar pelas filas de check-in e embarque. Nos voos comerciais, o passageiro tem de chegar com uma hora e meia de antecedência.

Apesar de o jato executivo voar a uma velocidade ligeiramente inferior à dos aviões comerciais, o tempo total gasto pelo passageiro entre a chegada ao aeroporto de origem e saída no aeroporto de destino pode ter uma diferença de até duas horas, segundo a Surf Air. Como cada avião leva menos de dez passageiros, todos os processos de embarque e desembarque são mais ágeis.

Leia também:

Escola de pilotos da Emirates tem jato brasileiro e aeroporto exclusivo

O que significam as placas, faixas e luzes nas pistas dos aeroportos?

Controle de qualidade de voo entrega quando o piloto faz algo errado