PUBLICIDADE
IPCA
+0,31 Abr.2021
Topo

Todos a Bordo

Por que as janelas dos aviões sempre têm formato ovalado?

Todos a Bordo

28/01/2016 06h00

Pode parecer apenas um detalhe estético, mas a verdade é que as bordas ovaladas das janelas dos aviões são cruciais para mantê-lo não só voando, como inteiro.

O único problema é que só se chegou a essa conclusão após uma série de acidentes aéreos ocorridos em um pequeno espaço de tempo, logo depois que os aviões a jato começaram a aparecer no mercado.

No início da aviação civil, os aviões eram bem mais simples, voavam bem mais baixo e tinham janelas retangulares. Mas com a chegada do motor a jato e da cabine pressurizada, as aeronaves começaram a fazer voos cada vez mais rápidos, mais longos e com altitudes cada vez mais elevadas.

Em 1952, um avião chamado Comet chegou com a promessa de ser o primeiro jato comercial do mundo. Acomodava até 44 passageiros, alcançava uma velocidade de 725 km/h (quase o dobro dos concorrentes) e tinha grandes janelas retangulares. Várias unidades do modelo foram vendidas.

Mas aí começaram os problemas. No mesmo ano, um dos aviões se acidentou ao decolar de Roma, na Itália, matando todas as pessoas a bordo. Depois disso, outros cinco acidentes aconteceram em menos de dois anos. Em dois deles, os jatos simplesmente se desintegraram no ar.

Os voos foram cancelados e tempo depois os engenheiros descobriram que a causa dos acidentes estava relacionada a falhas na fuselagem dos aviões, que não resistiram às pressões constantes causadas pela altitude e pela pressurização das cabines.

Isso aconteceu porque em velocidade de cruzeiro, a diferença de pressão dentro e fora do avião ficava (e fica) cada vez maior e, como resultado, a fuselagem da aeronave se expandia ligeiramente.

De acordo com os relatórios, em um dos acidentes, uma fratura que começou no canto de uma janela no topo do jato, onde antenas de rádio tinham sido alojadas. Depois de muitos ciclos de pressurização, a fuselagem do avião simplesmente perdeu sua capacidade de conter a pressão do ar elevada e explodiu.

Ou seja, em vez de ajudar o avião a acomodar a expansão, os cantos pontiagudos das janelas retangulares acabaram sendo um ponto maior de tensão no avião e causaram rachaduras na aeronave.

Pense não só nas janelas, mas em toda a estrutura da cabine, que tem o formato de um cilindro. Em superfícies perfeitamente arredondadas, a tensão flui de maneira mais suave. No entanto, esse fluxo pode ser interrompido pela introdução de uma janela, por exemplo. Se essa janela é retangular, a interrupção no fluxo é mais significativo.

O erro foi corrigido e desde então as janelas sempre tiveram seus cantos arredondados. A empresa fabricante do Comet até tentou lançar uma nova versão do jato, mas quem queria voar em um modelo, mesmo que "atualizado" que já caíra tantas vezes?

Leia também:

– Em 1930, voo parava 22 vezes para abastecer; saiba como era viajar na época

– Voos mais curtos do mundo duram de 47s a 10 minutos e custam até US$ 100

– Como escolher os melhores assentos no avião

– Dez perguntas e respostas sobre os direitos de quem viaja de avião

– Lareira falsa e muitas opções de assentos. A doce vida a bordo de um jato

– Onde ficam os quartos secretos das aeromoças nos aviões?

 

Sobre o blog

Todos a Bordo é o blog de aviação do UOL. Aqui você encontra notícias sobre aviões, helicópteros, viagens, passagens, companhias aéreas e curiosidades sobre a fascinante experiência de voar.