Todos A Bordo

Arquivo : conexão

Voo com conexão é ruim, mas você pode poupar 25% e conhecer outro lugar
Comentários Comente

Todos a Bordo

Voos com conexão são mais baratos em 60% dos casos (foto: Merelize/FreeRange)

Fazer um voo direto para chegar ao destino final da viagem é bem mais rápido e confortável do que ter de fazer uma parada no meio do caminho para trocar de avião. Mas esse conforto e agilidade podem fazer a viagem ficar mais cara na maioria das vezes. Um estudo do buscador de passagens aéreas Skyscanner aponta em 60% dos casos as viagens com conexão ficam mais baratas.

O levantamento, segundo a empresa, analisou milhões de dados, considerando os destinos internacionais mais procurados pelos brasileiros. A pesquisa comparou os valores cobrados pelas companhias aéreas em rotas diretas com os voos que exigem uma troca de avião no meio do caminho. A pesquisa foi feita entre os dias 1º de janeiro de 2016 e 30 de junho de 2017.

Os voos com conexão normalmente são mais econômicos nas rotas longas saindo do Brasil. Nas viagens para a Cidade do México, os voos com uma parada intermediária podem ficar, em média, 25% mais baratos. Para a Europa, o destino que gera a maior economia ao se optar por um voo com conexão é Lisboa, em Portugal, com uma redução de 16% em relação aos voos diretos. Nos Estados Unidos, Miami e Orlando têm preços 12% mais baratos quando há uma parada.

Leia também:
Dono de jatinho paga R$ 37 mil para estacionar e embarca sem fila e raio-x
Cigarro a bordo, visita a piloto, caviar no lanche: lembre voos do passado
Você tem ideia de quanto custa um avião de linhas comerciais normais?

Por outro lado, nas viagens internacionais para destinos mais próximos do Brasil, acontece o contrário: o mais barato é pegar voos diretos. Para viagens a Buenos Aires, na Argentina, a economia em voos diretos pode chegar a 12%, enquanto Santiago, no Chile, tem preços 6% mais baratos nos voos diretos.

A lista traz também algumas exceções, como o caso de Madri, na Espanha, para onde os voos diretos são 12% mais baratos. Segundo o Skyscanner, isso acontece pela maior oferta de voos para a capital espanhola. O maior desconto nos voos diretos é para Punta Cana, na República Dominicana, cuja economia pode chegar a 48% nas viagens sem conexão.

Na hora de comprar uma passagem aérea, no entanto, o passageiro não deve analisar somente esse fator, já que há outras variáveis que também influenciam no valor final da viagem. “Normalmente, o preço é influenciado pela disponibilidade dos voos e também pela procura por passagens”, afirma Tahiana Rodrigues, gerente de comunicação do Skyscanner.

Mesmo nos casos em que os voos com conexão são mais baratos, o passageiro também tem de analisar outras questões, como o intervalo entre os voos, a duração total da viagem e quantos dias ficará naquele destino. “O importante é o viajante avaliar, além do preço, se a parada vale a pena pelo tempo que ele tem disponível”, orienta Tahiana.

O passageiro que tem períodos mais longos de férias ainda pode aproveitar a conexão para conhecer mais de uma cidade na viagem. De acordo com o tempo entre os voos, é possível fazer somente um passeio curto, mas muitas companhias aéreas permitem que se faça um “stopover” sem custos adicionais. É quando o passageiro para na primeira cidade em que o avião pousar e fica ali por uma ou mais noites antes de prosseguir para seu destino final.

Destinos onde há mais economia ao viajar com voos de conexão:

Cidade do México – 25%

Lisboa – 16%

Amsterdã – 15%

Miami – 12%

Orlando – 12%

Paris – 11%

Roma – 11%

Nova York – 7%

Destinos que são mais baratos com voos diretos:

Punta Cana – 48%

Buenos Aires – 12%

Madri – 12%

Santiago – 6%

Montevidéu – 2%

Leia também:

Jatinho mais barato do mundo tem só um motor e paraquedas de emergência

Apenas 13 empresas têm o maior avião do mundo em sua frota; veja quais são

Você sabe como é feito o batismo de um avião? Até os bombeiros são chamados


Aeroporto de Paris tem mordomia para adulto e criança da classe econômica
Comentários Comente

Todos a Bordo

Lounge pode ser utilizado, sem custos, por todos os passageiros (Foto: Divulgação)

Por Vinícius Casagrande

Cerca de 30% dos passageiros que chegam ao aeroporto Charles de Gaulle, em Paris, estão apenas de passagem pela capital francesa. Para alguns, não há tempo nem mesmo para fazer compras nas diversas lojas do free shop. Já outros têm de esperar longas horas antes do próximo voo.

Entre um voo e outro, nada melhor do que tomar um banho, comer uma refeição e dormir um pouco. Essas mordomias são, normalmente, associadas aos passageiros que viajam na primeira classe ou na executiva. No aeroporto Charles de Gaulle, tudo isso pode ser aproveitado por qualquer passageiro.

Em seu principal centro de conexões, que acaba de completar 20 anos, a Air France tem investido para proporcionar uma nova experiência, especialmente aos passageiros com uma longa conexão internacional no principal aeroporto da capital francesa.

Air France tem mil voos por dia em Paris (Foto: Divulgação)

“Além de aeroporto, somos um hotel no qual ninguém dorme. Por isso, consideramos importante transformar a experiência de nossos usuários”, afirma Augustin de Romanet, CEO do grupo ADP, que administra o aeroporto Charles de Gaulle.

As principais melhorias do aeroporto estão presentes no terminal 2, no qual a Air France e as empresas da aliança Sky Team (KLM, Alitalia, Air Europa, Delta, entre outras) operam seus voos. As grandes mordomias ficam na ala 2E, de onde saem e chegam os voos internacionais de longa duração, como os do Brasil.

A área conta com um espaço kids para crianças que viajam desacompanhadas (já incluso na taxa extra cobrada de menores que viajam sozinhos), um enorme e sofisticado lounge com acesso gratuito para todos os passageiros e até mesmo um hotel de curta duração, pago à parte. Tudo isso fica dentro da área internacional do aeroporto, sem que os passageiros precisem passar por novos controles de segurança.

Lounge tem 4.500 m² à disposição dos passageiros (Foto: Divulgação)

Lounge com biblioteca, mesas e descanso

Uma das áreas mais novas do aeroporto Charles de Gaulle é o lounge Instant Paris. Com 4.500 m², o espaço é aberto gratuitamente a todos os passageiros em conexão. Durante visita da reportagem do Todos a Bordo na última semana, a área ainda estava bastante vazia, o que pode ser um sinal de que muitos passageiros ainda não sabem que podem utilizar o espaço.

O Instant Paris não lembra em nada as áreas comuns tradicionais dos aeroportos. O lounge, fruto de um investimento de 17 milhões de euros, foi decorado bem ao estilo parisiense e lembra um grande lobby de hotel chique.

O espaço conta com lanchonete, sala de refeições, biblioteca, mesa de trabalho, espaço para crianças e uma sala com camas para descanso dos passageiros. O local fica no hall L do terminal 2E.

YotelAir tem preço a partir de € 75 para período de quatro horas (Foto: Divulgação)

Hotel dentro do aeroporto

Quem tem uma longa conexão em Paris e quer ter um descanso mais profundo, dentro do Instant Paris há até mesmo um hotel, YotelAir. São 84 quartos que podem ser reservados por um período mínimo de quatro horas a partir de 75 euros, mais 10 euros por hora adicional. O hotel foi inaugurado em novembro do ano passado e conta atualmente com 75% de ocupação.

Os quartos são pequenas cabines de 8 m² a 10 m², com cama de casal, banheiro completo, televisão e serviço de quarto. É possível regular a cor da iluminação em diversos tons de azul, amarelo e vermelho. Na recepção, os funcionários controlam o horário dos hóspedes para que eles não percam o voo. Há também a opção de cabine familiar, com uma cama de casal e um beliche. O período de quatro horas, nesse caso, sai a partir de 95 euros.

Se a conexão não for tão longa assim, o passageiro pode apenas tomar um banho antes do próximo voo. O YotelAir tem à disposição banheiros com ducha, que podem ser reservados pelo período de até 45 minutos ao preço de 15 euros. A ducha pode ser utilizada somente por uma pessoa.

Crianças desacompanhadas tem espaço exclusivo (Foto: Vinícius Casagrande/UOL)

Espaço kids

As crianças que viajam desacompanhadas contam com um espaço exclusivo enquanto aguardam o próximo voo. O espaço é destinado aos menores entre 5 e 18 anos que tenham uma conexão de pelo menos duas horas no aeroporto Charles de Gaulle. São seis salas que recebem cerca de 25 mil crianças por ano.

O espaço kids é uma área monitorada por seguranças e câmeras de vídeo. O local é dividido em quartos de descanso, sala de TV e leitura, sala de jogos, além de uma área de refeição. As crianças têm à disposição diversos videogames (PlayStation e PS Vita), além de uma mesa de pebolim. Próximo à hora do voo, um monitor acompanha a criança até o portão de embarque.

No momento da compra da passagem, os pais precisam informar que a criança viaja desacompanhada. A Air France cobra uma taxa de até 100 euros por trecho em voos internacionais, independentemente se a criança irá utilizar ou não o espaço kids.

Sala vip destinada aos passageiros da primeira classe e business (Foto: Vinícius Casagrande/UOL)

Salas VIP

Os passageiros que viajam na primeira classe ou na executiva ainda podem aproveitar as diversas salas VIP espalhadas pelos terminais do aeroporto Charles de Gaulle. A sala mais moderna da Air France fica no hall M do terminal 2E.

Com comidas e bebidas grátis, o espaço é bastante amplo e dividido em diversas áreas. Há amplos sofás, mesas de escritório e espreguiçadeiras. Para relaxar antes do voo, o passageiro tem à disposição um spa da marca francesa Clarins, com tratamentos pagos à parte.

O jornalista viajou a Paris a convite da Air France

Leia também:

Air France quer lançar empresa de baixo custo e aumentar voos no Brasil

Pistas de Guarulhos são alargadas para voos diários do maior avião do mundo

Congonhas é o aeroporto com mais conexões de voos da A. Latina, diz ranking


< Anterior | Voltar à página inicial | Próximo>