Todos A Bordo

Arquivo : cargueiro

Presidente da Embraer diz que novo incidente não deve atrasar avião militar
Comentários Comente

Todos a Bordo

KC-390 em pátio da Embraer. Divulgação

Por Vinícius Casagrande

Em Los Angeles (EUA)*

O presidente da Embraer, Paulo Cesar de Souza e Silva, afirmou nesta terça-feira (8), em Los Angeles, que o novo incidente com o protótipo do cargueiro militar KC-390 não deve atrasar o programa de certificação do avião.

O novo avião saiu da pista no último sábado (5) quando realizava um teste de solo. A aeronave parou a cerca de 300 metros da cabeceira da pista. Em outubro do ano passado, o mesmo avião quase sofreu um acidente durante um voo de testes, quando perdeu altitude rapidamente. Na ocasião, o KC-390 teve algumas peças danificados e teve de ficar seis meses sem voar. O novo incidente aconteceu dois meses após a retomada dos testes em voo.

Segundo o presidente da Embraer, as causas do incidente ainda estão sendo apuradas. “Estamos avaliando ainda e é preciso esperar mais um pouco”, disse. Questionado se isso pode atrasar as primeiras entregas do avião, previstas para acontecer até o final deste ano, respondeu apenas: “Eu acredito que não”.

Paulo Cesar esteve em Los Angeles para participar do Uber Elevate Summit, onde apresentou o primeiro conceito de táxi aéreo elétrico que está sendo desenvolvido em parceria com a Uber.

Negociação com a Boeing ainda sem data para ser concluída

Em relação às negociações para uma união com a Boeing, o presidente da Embraer disse que ainda não é possível afirmar quando todo o processo será concluído.

“As negociações estão avançando e acho que é possível ainda esse ano, mas é impossível falar, não é viável falar o momento que vai ser”, afirmou.

Em março desse ano, Paulo Cesar chegou a afirmar que esperava uma conclusão ainda no primeiro semestre do ano. Logo depois, no entanto, passou a adotar uma postura mais cautelosa sobre o tema. Além das duas empresas, é preciso negociar também com o governo brasileiro, que possui o direito de veto no negócio.

“As conversas com o grupo de trabalho continuam com o governo. A operação é bastante complexa e ainda não há nada definido. Temos de aguardar ainda um pouco mais”, afirmou.

Por outro lado, o ministro da Defesa, general Joaquim Silva e Luna, disse na terça-feira (8) estar otimista com as negociações. “Está em fase avançada e é coisa para este ano”, afirmou

Em relação ao prejuízo de US$ 40 milhões registrado pela Embraer no primeiro trimestre do ano, Paulo Cesar negou que o fato tenha relação com o impasse nas negociações com Boeing.

“De forma alguma. Não tem nada a ver. Se você olhar anteriormente, o primeiro trimestre nosso é sempre mais fraco. É uma característica da nossa operação e da indústria. O primeiro trimestre é sempre mais fraco e não tem absolutamente nada a ver com isso”, disse.

No entanto, no mesmo período do ano passado, a Embraer havia registrado um lucro líquido de R$ 168,5 milhões, de acordo com o balanço.

* O jornalista viajou a convite da Uber


Azul compra aviões da Boeing que podem ajudar Correios com compras online
Comentários Comente

Todos a Bordo

Boeing 737-400F será usado pela Azul para o transporte de cargas (Adrian Pingstone/Wikimedia)

A Azul vai expandir sua frota de aviões com a aquisição das primeiras aeronaves da Boeing. Atualmente, a Azul tem aviões das fabricantes Embraer, Airbus e ATR. O novo modelo escolhido foi o Boeing 737-400F. Serão dois aviões do modelo para serem utilizados como cargueiros dentro da Azul Cargo Express.

A informação da incorporação dos primeiros aviões da Boeing na frota da Azul foi passada aos funcionários em uma comunicação interna da empresa. A assessoria de imprensa da companhia confirmou a compra ao Todos a Bordo, mas afirmou que outros detalhes só devem ser divulgados na próxima semana.

Leia também:

– O dia em que o piloto deixou o filho brincar na cabine e derrubou um avião
– Boeing 737 atinge marca de 10 mil unidades e é o jato mais popular do mundo
– Caça da Boeing que faria Brasil-Japão em 3h só será viável em 10 a 20 anos
– Clube de milhas de empresa aérea vale a pena ou é cilada? Fizemos as contas

“Neste ano, vamos fazer um grande investimento em nossa frota, focando em sua máxima eficiência com aeronaves de última geração: terminaremos o ano com 20 A320neo e 1 A330-900neo [todos da Airbus]. Eles se somarão aos 33 ATRs [da ATR], 63 E-jets [da Embraer] e 7 A330 [da Airbus], totalizando 124 aviões. Além disso, vamos certificar [obter licença de operação] dois novos modelos: o Embraer E2 195 – que começa a chegar em 2019 – e, para deixar nossa frota ainda mais completa, o Boeing 737-400F, que será utilizado como cargueiro pela Azul Cargo Express a partir do segundo semestre”, diz o comunicado interno da empresa.

Parceria com os Correios

Além de atender a demanda da Azul Cargo Express, os dois Boeing 737-400F também poderão ser usados para prestar serviços aos Correios. A empresa afirma, no entanto, que esse não foi o objetivo principal para a compra dos novos cargueiros.

Em dezembro, as duas empresas assinaram um memorando de entendimento para criar uma empresa privada voltada para o transporte de produtos vendidos pela internet. A nova empresa terá participação de 50,01% da Azul e 49,99% dos Correios. A parceria ainda precisa ser aprovada por órgãos e instâncias competentes. Somente após esse aval, a nova empresa será criada.

A Azul tem voos de passageiros para mais de cem cidades do Brasil. No anúncio do acordo com os Correiros, a empresa afirmou que usaria o espaço do compartimento de cargas de seus aviões para o transporte dos produtos dos Correios. Na época, o fundador da Azul já cogitava também a aquisição de novos aviões cargueiros.

Nesta semana, a Azul divulgou que pretende ampliar sua malha aérea para atender mais 33 cidades nos próximos anos, como Guarujá (SP), Macaé (RJ), Caruaru (PE), Barretos (SP) e Guarapuava (PR). Para 2018, o plano é ter entre oito e dez novos destinos. Para incluir todas as cidades, no entanto, ainda é necessária a adequação da infraestrutura aeroportuária.

Leia também:

– Brasil terá oferta recorde de passagem direta para Orlando (EUA) em 2018
– Conheça os 5 jatos mais vendidos do mundo; custam de R$ 16 mi a R$ 203 mi
– Velocímetro do avião marca velocidade diferente da real. Entenda


< Anterior | Voltar à página inicial | Próximo>