IPCA
0.13 Mai.2019
Topo
Blog Todos a Bordo

Blog Todos a Bordo

Aéreas vão barrar mala grande de mão; saiba tamanho máximo e preço de envio

Vinícius Casagrande

2009-04-20T19:04:00

09/04/2019 04h00

Crédito: Divulgação/ Crystal Cabin Awards

As companhias aéreas brasileiras vão começar na quarta-feira (10) a fiscalizar com mais rigor o tamanho das malas de bordo.

Os primeiros aeroportos serão os de Brasília (DF), Afonso Pena, na região metropolitana de Curitiba (PR), Natal (RN) e Viracopos, em Campinas (SP). Nos próximos dias, serão incluídos outros, como os de São Paulo e Rio.

As aéreas alegam que, desde o início da cobrança da bagagem despachada, muitas pessoas passaram a levar malas maiores a bordo. Sem espaço suficiente para todas as malas dentro da cabine de passageiros, algumas delas precisam ser transferidas de última hora para o porão do avião, causando confusões e até atrasos em voos.

Leia também:

Fiscalização será feita antes do raio-x

"O objetivo desta ação é agilizar o fluxo dos clientes nas áreas de embarque, evitando atrasos e trazendo maior conforto para todos os passageiros", afirmou a Abear (Associação Brasileira das Empresas Aéreas).

Coordenada pela Abear, a fiscalização será feita antes de o passageiro entrar na área de raio-x para o embarque. A Abear deverá usar uma caixa que servirá como gabarito para identificar se as malas estão dentro dos padrões.

Saiba o tamanho máximo das bagagens de mão

A associação utilizará uma caixa única para todas as companhias aéreas, já que Gol, Latam, Azul e Avianca passaram a adotar o mesmo padrão de tamanho para as malas de mão.

As bagagens podem ter 35 centímetros de largura, 25 centímetros de profundidade e 55 centímetros de altura. Segundo a Abear, essas dimensões seguem os padrões internacionais da Iata (Associação Internacional de Transporte Aéreo).

Divulgação/Abear

É preciso atenção para um detalhe: esses tamanhos têm de somar tudo, incluindo as rodinhas e a alça. Não é só o "corpo" da mala.

Se a mala couber nessa caixa, o passageiro poderá embarcar normalmente. Se a bagagem não entrar, é porque estoura o tamanho permitido.

Além disso, também é preciso respeitar o peso máximo de dez quilos, mas não foi mencionado que as malas serão pesadas nesse momento.

Se as medidas estiverem fora de padrão, o passageiro será encaminhado novamente ao check-in da empresa aérea para fazer o despacho da bagagem e pagamento das taxas para o transporte da mala.

Bolsa adicional também tem limite

Além da bagagem de mão, os passageiros podem levar apenas mais um item pessoal, que pode ser uma bolsa, uma mochila para notebook, uma bolsa para bebê ou uma sacola com produtos comprados nas lojas do aeroporto.

O tamanho máximo é de 45 centímetros de largura, 20 centímetros de profundidade e 35 centímetros de altura. Esse item pessoal deve ser guardado embaixo do assento do passageiro.

As regras divulgadas não mencionam limite de peso para essa bolsa adicional.

Passageiros terão duas semanas para se adaptar

A Abear afirma que haverá um período de duas semanas de caráter estritamente educativo, informando os passageiros sobre as medidas das bagagens de mão. "A partir de maio, as malas fora do padrão precisarão ser despachadas nos check-ins das companhias aéreas, estando sujeitos a cobranças de acordo com o tipo de franquia contratado para a viagem", afirmou a associação.

A ação mais rigorosa será feita em 15 aeroportos brasileiros. Veja quando começa a fiscalização em cada aeroporto:

10 de abril:

  • Juscelino Kubitschek (Brasília/DF)
  • Afonso Pena (São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba/PR)
  • Viracopos (Campinas/SP)
  • Aluízio Alves (São Gonçalo do Amarante, na região metropolitana de Natal/RN)

17 de abril:

  • Confins – Tancredo Neves (região metropolitana de Belo Horizonte/MG)
  • Pinto Martins (Fortaleza/CE)
  • Guararapes – Gilberto Freyre (Recife/PE)
  • Luís Eduardo Magalhães (Salvador/BA)
  • Val-de-Cans – Júlio Cezar Ribeiro (Belém/PA)

24 de abril:

  • Santa Genoveva (Goiânia/GO)
  • Salgado Filho (Porto Alegre/RS)
  • Congonhas (São Paulo/SP)
  • Aeroporto Internacional de São Paulo (Guarulhos/SP)
  • Galeão – Tom Jobim (Rio de Janeiro/RJ)
  • Santos Dumont (Rio de Janeiro/RJ)

Quanto custa despachar bagagem?

As companhias aéreas cobram valores idênticos para o despacho de bagagem, com apenas uma pequena variação da Latam. Veja abaixo:

Gol:

  • 1ª mala: R$ 60 com antecedência e R$ 120 no aeroporto
  • 2ª mala: R$ 100 com antecedência e R$ 140 no aeroporto
  • 3ª a 5ª mala (cada): R$ 130 com antecedência e R$ 220 no aeroporto

Latam:

  • 1ª mala: R$ 59 com antecedência e R$ 120 no aeroporto
  • 2ª mala: R$ 99 com antecedência e R$ 140 no aeroporto
  • A partir da 3ª mala (cada): R$ 139 com antecedência e R$ 220 no aeroporto

Azul:

  • 1ª mala: R$ 60 com antecedência e R$ 120 no aeroporto
  • 2ª mala: R$ 100 com antecedência e R$ 140 no aeroporto
  • 3ª a 5ª mala (cada): R$ 130 com antecedência e R$ 220 no aeroporto

Avianca:

  • 1ª mala: R$ 60 com antecedência e R$ 120 no aeroporto
  • 2ª mala: R$ 100 com antecedência e R$ 140 no aeroporto
  • 3ª a 10ª mala (cada): R$ 130 com antecedência e R$ 220 no aeroporto

Veja caminho que sua mala faz no aeroporto depois de despachada no check-in

Sobre o blog

Todos a Bordo é o blog de aviação do UOL. Aqui você encontra notícias sobre aviões, helicópteros, viagens, passagens, companhias aéreas e curiosidades sobre a fascinante experiência de voar.