IPCA
-0.04 Set.2019
Topo
Blog Todos a Bordo

Blog Todos a Bordo

Veja aeroportos que foram prometidos no Brasil, mas nunca saíram do papel

Todos a Bordo

13/09/2018 04h00

Base Aérea de Santos (SP) – Foto: Pedro Rezende

Por Alexandre Saconi

Nem tudo que é planejado dá certo. E isso não é diferente com os aeroportos. Alguns projetos ficaram famosos e geraram grande expectativa, mas, por diversos motivos, acabaram não sendo concluídos como planejado.

Problemas com licenças ambientais, terrenos ou a falta de interesse e investimento, por exemplo, podem mudar os planos que pareciam ser promissores. Veja abaixo exemplos de aeroportos que não saíram do papel ou que não foram concluídos como o planejado.

Terceiro aeroporto de São Paulo

No começo desta década, com os aeroportos de Guarulhos e Congonhas praticamente saturados, o debate sobre a criação de um terceiro aeroporto na região metropolitana de São Paulo ganhou força. Diversas cidades despontaram como candidatas, mas, até hoje, nenhum projeto foi iniciado.

Projeto do terceiro aeroporto de São Paulo, em Parelheiros – Foto: Divulgação/Harpia

Uma opção seria construir um aeroporto no bairro de Parelheiros, na zona sul de São Paulo. Esse seria o terceiro na capital paulista, junto com Campo de Marte e Congonhas.

O projeto previa um investimento de R$ 1 bilhão, mas, em 2014, a prefeitura acabou com as esperanças de construção da obra por restrições ambientais.

Uma alternativa seria São Bernardo do Campo, cidade que é cortada por duas rodovias e pelo Rodoanel. O município do ABC paulista ganhou destaque na corrida após a promessa de fabricação dos novos caças da FAB (Força Aérea Brasileira) na cidade, em parceria com a empresa sueca Saab. Mesmo com apoio político e empresarial, o aeroporto não chegou a ser construído, e a fabricação dos componentes do avião de combate Gripen só teve início em 2018.

Também haveria projetos para a construção de um aeroporto em Mogi das Cruzes e Ibiúna, mas, até hoje, nenhuma dessas iniciativas caminhou.

Outra questão que impediria a criação de um novo aeródromo tão próximo ao de Guarulhos e Congonhas é o tráfego aéreo intenso na região, sendo que um novo aeroporto poderia atrapalhar as rotas existentes.

Nasp (Novo Aeroporto de São Paulo)

Um terreno localizado entre Cajamar e Caieiras, a cerca de 40 km da capital paulista, foi alvo de estudos para abrigar o Nasp (Novo Aeroporto de São Paulo). O local teria capacidade para receber voos internacionais e até 50 milhões de passageiros por ano.

As pistas teriam 3.500 metros de extensão, maior que as pistas de Congonhas (SP) e Santos Dummont (RJ), além de capacidade para receber os maiores aviões do mundo, como o A380 e o cargueiro Antonov An-225.

Em 2016, a empresa que gerencia o projeto comprou o terreno, mas ainda aguarda as autorizações e investimento para realizar as obras.

Aeródromo de Inhotim/Betim (MG)

Aeródromo de Inhotim deve receber voos da aviação executiva e de carga a partir de 2020 – Foto: Divulgação/Prefeitura de Betim

Após anos de especulação e espera, a cidade mineira de Betim deve começar a receber voos em seu novo aeródromo em breve. Um consórcio empresarial recebeu autorização da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) para construir o Aeródromo de Inhotim, que já está em obras e deve iniciar suas operações a partir do 1º semestre de 2020.

A cidade fica a cerca de 30 km de Belo Horizonte, em uma região que abriga diversas indústrias e um polo automobilístico. O local contará com voos de aviação executiva e de carga, e não fará concorrência com os aeroportos próximos, de Confins e Pampulha.

O nome do aeródromo é uma homenagem ao Instituto Inhotim, que fica na cidade vizinha de Brumadinho. O local abriga um complexo de museus com diversos pavilhões e galerias com obras de arte e esculturas expostas ao ar livre, que recebe cerca de 350 mil visitantes por ano. O aeroporto seria mais uma alternativa para os turistas chegarem ao local.

Aeroporto do Guarujá (SP)

Aeroporto do Guarujá deve compartilhar pista com a Base Aérea de Santos – Foto: Pedro Rezende

Após muitos anos de idas e vindas, a cidade do Guarujá (SP) poderá receber voos comerciais em breve. Segundo a prefeitura, o local deve funcionando em meados de 2019. Em vez de um novo local, o poder público pretende construir o Aeroporto Civil Metropolitano ao lado da Base Aérea de Santos, que pertence à FAB, e ambos utilizarão a mesma pista. Os aeroportos de Brasília e Guarulhos, por exemplo, operam desta maneira, com voos civis e militares no mesmo espaço.

A pista deve ser ampliada em 300 metros, e o local deverá receber voos comerciais de pequeno e médio porte, além da aviação executiva e operação com helicópteros. O local é estratégico, pois está próximo à capital paulista (cerca de 50 km), ao porto de Santos e ao polo petroquímico de Cubatão.

Apesar do nome da base, a construção fica no município do Guarujá e é usada ocasionalmente para pousos e decolagens particulares. Em 2014, o avião do então candidato à Presidência da República pelo PSB, Eduardo Campos, tentou pousar no local, mas não conseguiu e caiu em um bairro residencial na cidade vizinha de Santos.

Aeroporto do Maguary (Belém-PA)

Estudos da década de 1930 mostram como seria o terminal de passageiros e a torre – Foto: Reprodução/Revista Marítima Brasileira

O Aeroporto Internacional de Belém, localizado no bairro Val-de-Cans, foi construído no final da década de 1930. Sua localização foi estratégica para bombardeiros cruzarem o oceano Atlântico durante a Segunda Guerra Mundial, além de ter ampliado a integração da região amazônica.

Uma história que não é muito popular é a do aeroporto do Maguary, que seria construído no bairro Icoaraci, também na capital paraense. O local deveria funcionar com pista de terra, além de comportar pousos na água.

Em 1933, um estudo sobre a criação de uma linha aérea que ligaria Belém a Manaus chegou a ser apresentado aos ministros da Marinha e da Viação de Obras Públicas da época. Porém, em 1934, o então diretor da Aviação Militar, o general Eurico Gaspar Dutra, designou que fosse escolhido um terreno no bairro Val-de-Cans para ser construído o aeroporto, afastando de vez a ideia de a obra ser concretizada em Icoaraci.

Leia também:

– Caixas do raio-x de aeroportos contêm mais vírus que os banheiros
– Tem até ouro: coisas malucas são perdidas em grandes aeroportos
– O aeroporto fantasma da Odebrecht em Moçambique
– Que avião pousa antes: o do presidente ou um com órgão para transplante?

Sobre o blog

Todos a Bordo é o blog de aviação do UOL. Aqui você encontra notícias sobre aviões, helicópteros, viagens, passagens, companhias aéreas e curiosidades sobre a fascinante experiência de voar.

Mais Todos a Bordo