passageiros – Todos A Bordo http://todosabordo.blogosfera.uol.com.br Todos a Bordo é o blog de aviação do UOL. Aqui você encontra as últimas informações, análises e notícias sobre o movimentado mundo das companhias aéreas, das fabricantes de aviões e de empresas aeroportuárias. Sat, 22 Apr 2017 07:00:48 +0000 pt-BR hourly 1 https://wordpress.org/?v=4.7.2 1ª classe ganha cremes, perfumes e bálsamos labiais de Bulgari e Lacroix http://todosabordo.blogosfera.uol.com.br/2017/04/22/1a-classe-ganha-cremes-perfumes-e-balsamos-labiais-de-bulgari-e-lacroix/ http://todosabordo.blogosfera.uol.com.br/2017/04/22/1a-classe-ganha-cremes-perfumes-e-balsamos-labiais-de-bulgari-e-lacroix/#comments Sat, 22 Apr 2017 07:00:48 +0000 http://todosabordo.blogosfera.uol.com.br/?p=5544

Passageira na primeira classe da Air France (foto: Divulgação)

Viajar na primeira classe do avião não é apenas ter espaço de sobra, boas refeições e atenção integral dos comissários de bordo. Na hora de cuidar da higiene e da beleza, os passageiros também contam com os mais luxuosos e sofisticados produtos disponíveis no mercado.

As principais companhias aéreas do mundo colocam à disposição dos passageiros da primeira classe kits com produtos das mais renomadas marcas do mundo, como Bulgari, Salvatores Ferragamo, Christian Lacroix, Carita, entre outras.

Kit feminino distribuído pela Emirates para passageiras da primeira classe (foto: Divulgação)

Emirates

A companhia aérea Emirates já é conhecida pelo luxo de sua primeira classe, que conta com cabines privativas, chamadas de suítes, bar e até spa com chuveiro. Para aproveitar todas essas mordomias, os passageiros da primeira classe recebem um kit da Bulgari.

As nécessaries são feitas de couro fino e na cor cinza de carvão para homens e cinza pálido para mulheres. Há quatro versões diferentes para cada, feitas exatamente para serem colecionadas pelos passageiros mais frequentes da companhia aérea.

Dentro das bolsas, há cremes faciais, corporais, para as mãos e bálsamo labial. O grande destaque, porém, fica para o frasco de 15 ml do perfume Eau de Cologne, da Bulgari. No spa a bordo, os produtos são da marca irlandesa Voya, conhecida por usar ingredientes orgânicos.

A Emirates também oferece um pijama hidratante para os passageiros da primeira classe. O tecido usado na fabricação da roupa libera um composto de algas marinhas que, de acordo com a aérea, minimiza a desidratação e estimula a circulação. As microcápsulas hidratantes são liberadas conforme o passageiro se movimenta.

Kit da Singapore tem produtos Salvatore Ferragamo (foto: Divulgação)

Singapore Airlines

Os produtos da marca de luxo italiana Salvatore Ferragamo fazem parte dos kits para os passageiros da primeira classe da companhia aérea Singapore Airlines.

Além de produtos tradicionais, como bálsamo labial, creme hidratante facial e para as mãos e produtos de higiene pessoal, os homens recebem um perfume Acqua Essenziale Blu Salvatore Ferragamo de 30 ml. Para as mulheres, há um frasco de 30 ml do perfume Signorina Eleganza.

Na hora de dormir durante o voo, os passageiros da primeira classe recebem um pijama da marca Givenchy.

Passageiros da Etihad recebem bolsas da Christian Lacroix (foto: Divulgação)

Etihad

Uma das principais marcas de moda do mundo, a Christian Lacroix foi a escolhida para desenvolver as nécessaires para a primeira classe da companhia aérea Etihad. A versão feminina foi pensada para também ser utilizada como uma bolsa de mão, enquanto a masculina pode ser usada para guardar tablets.

Os passageiros da primeira classe têm à disposição produtos da marca húngara Omorovicza, que incluem produtos antienvelhecimento e rejuvenescimento da coleção “Ouro”, bálsamo para os lábios, hidratante facial e creme nutritivo para as mãos. Há também itens de higiene bucal, meias, protetores para olhos e ouvidos.

Os produtos da marca Omorovicza também podem ser encontrados nos banheiros destinados aos passageiros da primeira classe nos voos da Etihad.

Marca francesa Carita abastece os kits da Air France (foto: Divulgação)

Air France

Os passageiros da primeira classe da Air France ganharam em fevereiro um novo kit com produtos da marca francesa Carita. Estão à disposição creme facial hidratante, creme antirrugas e para as mãos, bálsamo labial, além de fones de ouvido, pente e caneta.

Dentro do kit há ainda um impresso com desconto para tratamento de cabelo e uma sessão de estilo na La Maison de Beauté Carita Faubourg.

A marca francesa de cosméticos também oferece removedores de maquiagem e tratamentos hidratantes disponíveis a todos os passageiros da La Première, como é chamada a primeira classe da Air France, a qualquer momento durante seu voo.

Nécessaire da ANA Airlines remete a uma mala de viagem (foto: Divulgação)

ANA Airlines

A companhia aérea japonesa ANA oferece kits da Samsonite. As nécessaries lembram malas de viagem em tamanho miniatura. Dentro, há produtos da marca de cosméticos Ginza, com loção energizante, emulsão hidratante, espuma de limpeza cremosa e quatro almofadas de algodão facial, além de itens de higiene bucal, máscara facial e protetores de ouvido.

Os passageiros ainda têm à disposição um pijama completo, feito de malha dupla. A roupa vem embalada em uma bolsa do mesmo material, que, segundo a empresa, é perfeita para levar o pijama para casa após o voo.

Kits femininos da British Airways tem inspiração floral oriental (foto: Divulgação)

British Airways

A British Airways introduziu os novos kits para os passageiros da primeira classe em janeiro deste ano. Os novos produtos foram inicialmente distribuídos nos voos entre Londres e Los Angeles, mas a expectativa da companhia é que até o final do ano estejam em todos os voos da empresa.

Os novos kits foram desenvolvidos pela sofisticada loja Liberty London e contam com produtos da Aromatherapy Associates. As nécessaries são divididas nas versões masculina e feminina. Para os homens, foi escolhido o preto, enquanto a das mulheres foi inspirada nos florais orientais.

Kit da Delta tem produtos da Khel’s e da Tumi (foto: Divulgação)

Delta

Os kits da Delta são compostos de bálsamo labial e loção para mãos e para o corpo, com aloe vera e aveia, da marca Kiehl’s. Há ainda caneta, protetor para os olhos e meias listradas da Tumi. O kit é completado com pasta dental Crest, lenços, enxaguante bucal e protetor de ouvidos.

Todos os produtos são distribuídos em uma nécessaire rígida nos voos que partem dos Estados Unidos e em uma embalagem mais mole nos voos com destino aos Estados Unidos. Segundo a companhia, a diferença é para que o passageiro possa aumentar a sua própria coleção de mimos de companhias aéreas.

Os kits mais sofisticados, no entanto, não estão disponíveis em todos os voos. Eles são oferecidos somente nos voos transoceânicos e entre os aeroportos de Nova York (John F. Kennedy) e Los Angeles.

Produtos de luxo fazem parte do kit da American Airlines (foto: Divulgação)

American Airlines

Os passageiros da primeira classe da American Airlines contam com produtos das marcas Cole Haan, 3LAB Skincare, C.O. Bigelow Apothecaries e Clark’s Botanicals. A companhia aérea conta com três tipos diferentes de acordo com a duração do voo.

Nos voos internacionais, são utilizados produtos da 3LAB, como creme hidratante corporal e para as mãos, bálsams labial, gel antisséptico para mãos, enxaguante bucal, lenços, caneta e protetor macio para fones de ouvidos. Há também meias, protetor para os olhos e itens de higiene pessoal. Os produtos são embalados em nécessaires da Cole Haan.

O itens da C.O. Bigelow Apothecaries são distribuídos na classe executiva dos voos internacionais, enquanto os produtos da Clark’s Botanicals estão presentes na primeira classe dos voos domésticos da companhia aérea.

Leia também:

Maior avião do mundo, A380 estreia no Brasil com 1ª classe a R$ 57 mil

Fotos mostram como primeira classe se distraía durante voos na década de 60

Aeroporto de Paris tem mordomia para adulto e criança da classe econômica

]]>
1
Homem é expulso à força de avião por excesso de passageiros a bordo http://todosabordo.blogosfera.uol.com.br/2017/04/10/homem-e-expulso-a-forca-de-aviao-por-excesso-de-passageiros-a-bordo/ http://todosabordo.blogosfera.uol.com.br/2017/04/10/homem-e-expulso-a-forca-de-aviao-por-excesso-de-passageiros-a-bordo/#comments Mon, 10 Apr 2017 17:51:43 +0000 http://todosabordo.blogosfera.uol.com.br/?p=5459

Incidente aconteceu após overbooking em voo da United Airlines (Foto: Mel Evans/AP)

Um homem foi retirado à força de um avião da United Airlines no último domingo após a companhia aérea permitir o embarque de um número maior de passageiros do que a capacidade do avião. O incidente foi divulgado nas redes sociais de diversos passageiros que estavam a bordo e confirmado pela própria companhia aérea. O caso aconteceu no aeroporto de Chicago O’Hare, em um voo com destino a Louisville, no Estado do Kentucky, ambos nos Estados Unidos.

O homem, que não foi identificado, já estava sentado em seu assento quando o excesso de passageiros foi constatado. Os comissários de bordo solicitaram alguns voluntários para deixar o avião e embarcar em um próximo voo, relatou um dos passageiros.

No entanto, ninguém se candidatou e os funcionários da empresa decidiram escolher aleatoriamente quem teria de sair do avião e viajar em um próximo voo. O homem escolhido se recusou a deixar o avião. Ele teria dito ser médico e ter consultas agendadas no dia seguinte, segundo o site BuzzFeed dos Estados Unidos.

Com a recusa, os funcionários da United Airlines solicitaram a presença de policiais a bordo para retirar o homem à força do avião. Em diversos vídeos publicados nas redes sociais, é possível ver o momento no qual o homem é arrancado do seu assento com bastante violência e arrastado pelo corredor central do avião. Durante a ação, o homem ficou machucado e saiu com a boca sangrando.

Ainda segundo o BuzzFeed, alguns passageiros chegaram a relatar que quatro passageiros deveriam sair do avião para que a United Airlines pudesse embarcar quatro funcionários da própria companhia aérea. Nesta segunda-feira, o CEO da United Airlines, Oscar Munoz, se pronunciou sobre o assunto em uma curta nota oficial.

“Esse é um evento triste para todos nós da United. Me desculpo por ter de reacomodar esses passageiros. Nossa equipe está mexendo com senso de urgência para trabalhar com as autoridades e fazer uma revisão detalhada do que aconteceu. Também estamos procurando esse passageiro para conversar diretamente com ele para resolver essa situação”, afirmou Munoz.

Leia também:

Passageiro educado ao telefone pode ganhar assento mais espaçoso em aviões

Banheiros a bordo quebram, e avião faz pouso para passageiros se aliviarem

Aérea com overbooking vai pagar multa de até R$ 2.253 na hora a passageiro

]]>
6
Cobrança por comida em voos da Latam deve começar ainda neste semestre http://todosabordo.blogosfera.uol.com.br/2017/03/22/cobranca-por-comida-em-voos-da-latam-deve-comecar-ainda-neste-semestre/ http://todosabordo.blogosfera.uol.com.br/2017/03/22/cobranca-por-comida-em-voos-da-latam-deve-comecar-ainda-neste-semestre/#respond Wed, 22 Mar 2017 21:44:07 +0000 http://todosabordo.blogosfera.uol.com.br/?p=5345

Alimentação distribuída pela Latam em voos internacionais. Foto: Divulgação

A Latam afirmou nesta quarta-feira (22) que deverá começar a cobrar por refeições em voos domésticos até o fim do primeiro semestre deste ano. O anúncio sobre a mudança havia sido feito no final do ano passado, quando a empresa disse que o novo sistema poderia resultar em uma redução de até 20% no preço das passagens até 2020.

Nesta quarta, a CEO da Latam Airlines Brasil, Claudia Sender, falou que a expectativa é de colocar os menus a bordo “até o final do primeiro semestre, começo do segundo semestre”.

A cobrança já foi implantada em outros mercados da Latam, como Colômbia e Peru. O Chile deverá ser o próximo país onde a mudança será feita. Nestes locais, os passageiros agora têm à disposição gratuitamente apenas água. O modelo deverá ser o mesmo no Brasil.

A aérea diz que os preços a serem cobrados pelos produtos no Brasil “ainda estão em desenvolvimento”. Nos países onde o modelo, chamado Mercado Latam, já está funcionando, os preços não são divulgados pela página na internet, somente nos menus distribuídos a bordo.

Segundo Jerome Cadier, vice-presidente de marketing do grupo, o menu tem 50 itens, entre alimentos e bebidas, com algumas adaptações para o público local. No Brasil, por exemplo, os clientes poderão ter a opção de comprar brigadeiro.

Ao fazer a estimativa de redução da tarifa, a Latam menciona a passagem básica, sem os serviços que poderão ser acrescentados pelo passageiro. Esses serviços não se limitam aos lanches a bordo, incluindo ainda itens como reserva de assento, que poderá ser feita mediante o pagamento de uma taxa.

Dentre as mudanças anunciadas no ano passado, algumas já estão em vigor, como a pontuação diferente no programa de fidelidade de acordo com a tarifa escolhida pelo passageiro.

Enquanto a cobrança por alimento a bordo ganha força no Brasil, nos Estados Unidos, grandes companhias aéreas como Delta e American Airlines decidiram voltar a oferecer lanches de graça em alguns voos, como forma de fidelizar clientes.

Nos EUA, as aéreas cobram separadamente por diversos itens, incluindo bagagem despachada, assunto que tem sido muito debatido recentemente no Brasil.

A expectativa da Latam e de outras aéreas é pela liberação da cobrança no Brasil. Depois de a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) permitir que o serviço fosse cobrado, uma liminar da justiça derrubou a autorização. A cobrança deveria ter entrado em vigor na semana passada.

“Há dois anos todos os órgãos e entidades estão sendo convidados para participar desse debate. Nos surpreende que, tão próximo da implantação, essa medida tenha sido suspensa. E só uma parte da medida, as outras continuam, com custos para a companhia aérea”, diz Claudia Sender.

Além da cobrança por bagagem despachada, as novas regras da Anac incluem prazos para reparar danos e indenizar clientes que tiveram a bagagem violada, indenização imediata ao viajante que não conseguir embarcar por overbooking, obrigatoriedade de divulgação do valor final da passagem, com todas as taxas já incluídas, entre outros pontos (veja no álbum abaixo).

]]>
0
Tempo de voo pode ter diferença de 2h na ida e na volta. Sabe por quê? http://todosabordo.blogosfera.uol.com.br/2017/03/22/tempo-de-voo-pode-ter-diferenca-de-2h-na-ida-e-na-volta-sabe-por-que/ http://todosabordo.blogosfera.uol.com.br/2017/03/22/tempo-de-voo-pode-ter-diferenca-de-2h-na-ida-e-na-volta-sabe-por-que/#comments Wed, 22 Mar 2017 07:00:49 +0000 http://todosabordo.blogosfera.uol.com.br/?p=5338

Sentido e velocidade do vento pode alterar o tempo de voo na ida e na volta (Foto: Divulgação)

O voo mais longo do mundo, entre Auckland, na Nova Zelândia, e Doha, no Catar, tem duração prevista de 17h40. No sentido contrário, no entanto, a companhia aérea Qatar Airways prevê uma duração de “apenas” 16 horas. Apesar da diferença, a viagem utiliza a mesma rota e o mesmo avião para os voos de ida e volta.

O voo entre São Paulo e Joanesburgo, na África do Sul, também tem uma diferença considerável do tempo de voo na ida e volta. A companhia aérea South African prevê 8h25 no voo ida, enquanto a viagem de volta ao Brasil tem previsão de 10h30 de duração.

A diferença do tempo de voo na ida e na volta acontece por conta das características meteorológicas encontradas na rota, especialmente por conta da direção, sentido e velocidade dos ventos.

Quando o avião voa em sentido contrário ao vento, conhecido como vento de proa, o ar diminui a velocidade do avião em relação ao solo e a viagem fica mais lenta.

No entanto, quando o vento sopra no mesmo sentido do voo, chamado vento de cauda, ele exerce uma força adicional que aumenta a velocidade em relação ao solo. É como se o vento estivesse empurrando o avião.

Se a rota tiver predominantemente ventos laterais à trajetória do avião, o tempo de voo fica praticamente igual nos voos de ida e volta. A viagem entre São Paulo e Londres, na Inglaterra, tem previsão de 11h25, enquanto no retorno ao Brasil são 11h45.

Boeing 777 da Air Índia percorre 15,3 mil km entre Nova Déli e São Francisco (Imagem: Divulgação)

Mudança de rota

Na preparação para o voo, pilotos e outros profissionais das companhias aéreas estudam as condições meteorológicas da rota para avaliar a melhor altitude para se beneficiar dos ventos presentes na rota.

A predominância no sentido e velocidade do voos na atmosfera pode alterar até mesmo o caminho de um determinado voo. Foi exatamente por causa disso que, em outubro do ano passado, a Air India mudou completamente a rota do voo entre Nova Déli, na Índia, e São Francisco, nos Estados Unidos.

Inicialmente, a companhia fazia a rota sobrevoando o Oceano Atlântico, mas passou a fazer o trajeto pelo lado oposto, no sentido do Oceano Pacífico. A mudança fez a distância percorrida pelo voo aumentar em 1.400 km, chegando a um total de 15,3 mil km voados. A nova rota ganhou o título de mais longo do mundo em termos de distância percorrida.

Apesar do aumento na distância percorrida, o voo ficou duas horas mais rápido. Quando sobrevoava o Atlântico, o avião enfrentava ventos de frente que diminuíam a velocidade em relação ao solo, em média, em 25 km/h.

Na rota pelo Pacífico, os ventos são mais fortes e seguem na mesma direção do voo. Com isso, o avião é empurrado pelos ventos e a velocidade em relação ao solo aumenta, em média, em 140 km/h.

Leia também:

Este avião é o campeão nas rotas mais longas do mundo, com mais de 16h

Por que os aviões mudam o sentido de pouso e decolagem nas pistas?

Pistas de Guarulhos são alargadas para voos diários do maior avião do mundo

EMBRAER APRESENTA SEU MAIOR JATO COMERCIAL

]]>
17
Passageiro educado ao telefone pode ganhar assento mais espaçoso em aviões http://todosabordo.blogosfera.uol.com.br/2017/03/16/passageiro-educado-ao-telefone-pode-ganhar-assento-mais-espacoso-em-avioes/ http://todosabordo.blogosfera.uol.com.br/2017/03/16/passageiro-educado-ao-telefone-pode-ganhar-assento-mais-espacoso-em-avioes/#respond Thu, 16 Mar 2017 16:44:59 +0000 http://todosabordo.blogosfera.uol.com.br/?p=5301

Foto: Getty Images

Uma companhia aérea do Reino Unido encontrou uma forma inusitada de fazer uma promoção. Com o objetivo declarado de promover valores como cortesia e respeito, a Monarch Airlines afirma que vai melhorar o voo de seus passageiros mais gentis.

Funciona assim: clientes que forem “especialmente legais” com a equipe de atendentes da empresa poderão ser colocados em um assento mais espaçoso ou ter prioridade no embarque sem ter de pagar por isso.

A aérea cobra 3 libras (cerca de R$ 11) pelo embarque prioritário. A taxa pela poltrona com espaço extra varia de 4,99 libras (R$ 19) a 34,99 libras (R$ 133,50).

Mas tem um detalhe importante: só poderão ser presenteados os clientes que fizerem suas reservas pelo call center, e este serviço custa 7,50 libras (R$ 28), por passageiro, por trecho. Quem faz a compra pela internet não precisa pagar esta taxa.

Segundo a empresa, cada funcionário do serviço de atendimento terá dez ‘mimos’ para distribuir por semana. A Monarch afirma que a escolha de quem receberá o upgrade ficará inteiramente a critério da equipe. O cliente deverá ser informado se recebeu o presente no final da chamada telefônica.

Todas as pessoas incluídas em uma mesma reserva serão contempladas. No caso do assento mais amplo, a premiação dependerá obviamente da disponibilidade nos voos.

“Nós somos frequentemente descritos como a companhia aérea mais legal e sentimos orgulho disso. Nossa equipe de serviços ao cliente já é gentil – agora ela pode recompensar aqueles que também são amáveis com eles”, diz o chefe de operações da aérea, Nils Christy.

Campanha

Para promover o que está chamando de algo como ‘Ano da Gentileza’, a Monarch também encomendou um estudo independente à Goldsmiths University, de Londres, para analisar a relação entre o quanto uma pessoa é gentil e seus níveis de felicidade, sucesso, saúde e bem-estar.

O estudo envolveu 100 pessoas, incluindo funcionários da empresa aérea escolhidos de forma aleatória. Os participantes tiveram de responder perguntas sobre o quão gentis, saudáveis, felizes ou estressados se consideravam.

Alguns participantes também foram submetidos a testes nos quais tiveram de desempenhar uma atividade em meio a situações de estresse. Os resultados indicaram que os funcionários da aérea tiveram um desempenho melhor em quesitos como empatia e altruísmo, e demonstraram alto grau de tolerância ao estresse.

Leia também:
Aérea mostra como passageiro ideal se comporta no voo; internautas criticam

Em ação promocional, aérea dá desconto a cada vez que um bebê chora no voo

]]>
0
Este aeroporto é pentacampeão no ranking de melhores do mundo; conheça http://todosabordo.blogosfera.uol.com.br/2017/03/15/aeroporto-de-cingapura-e-eleito-o-melhor-do-mundo-pela-5a-vez/ http://todosabordo.blogosfera.uol.com.br/2017/03/15/aeroporto-de-cingapura-e-eleito-o-melhor-do-mundo-pela-5a-vez/#comments Wed, 15 Mar 2017 16:25:00 +0000 http://todosabordo.blogosfera.uol.com.br/?p=5258

Terminal 3 do aeroporto de Changi, em Cingapura. Foto: TommL/Getty Images

Pelo quinto ano consecutivo, o aeroporto de Changi, em Cingapura, foi eleito o melhor do mundo pelo “Oscar” da aviação, o Skytrax World Airports Awards.

Entre os dez melhores do ranking, cinco ficam na Ásia e quatro, na Europa. O Brasil não tem nenhum representante entre os 100 primeiros colocados.

Aeroportos brasileiros só aparecem em uma lista separada dos melhores da América do Sul. O aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, está em quinto lugar nesta lista. O aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, aparece na sétima posição e o de Congonhas, também em São Paulo, na nona colocação.

O melhor aeroporto da América do Sul, pela pesquisa, é o El Dorado, de Bogotá, na Colômbia, que ocupa o 42º lugar no ranking geral.

Cinema e jardim

‘Jardim Encantado’, uma das atrações para os passageiros no aeroporto Changi. Foto: maislam/Getty Images

O agora pentacampeão aeroporto de Cingapura é famoso pelas várias opções de lazer oferecidas aos viajantes, que incluem cinema, spa, jardins e espaço para dormir.

Mais de 100 companhias aéreas oferecem voos para 380 cidades do mundo a partir de Changi. Em 2016, o aeroporto atendeu 58,7 milhões de passageiros.

Ao receber o prêmio, o CEO do grupo que administra o aeroporto, Lee Seow Hiang, afirmou que as instalações estão sendo ampliadas para atender mais passageiros nos próximos anos, mas disse que o objetivo é trabalhar com os parceiros para melhorar a experiência do viajante.

Aeroporto de Changi, em Cingapura. Foto: ronniechua/Getty Images

Pesquisa

A lista dos melhores aeroportos de 2017 foi feita com base em 13,82 milhões de questionários preenchidos por passageiros de 105 nacionalidades. A pesquisa foi feita entre julho de 2016 e fevereiro de 2017, em 550 aeroportos do mundo todo. Foram avaliados itens como serviço de check-in, serviço de imigração, lojas, segurança, transporte.

Veja os 10 melhores aeroportos:

1º Changi, Cingapura

2º Tóquio (Haneda), Japão

Aeroporto de Tóquio (Haneda). Foto: Bennewitz/Getty Images

3º Incheon, Coreia do Sul

Aeroporto de Incheon, em Seul, Coreia do Sul. Foto: Getty Images

4º Munique, Alemanha

Aeroporto de Munique, na Alemanha. Foto: mthaler/Getty Images

5º Hong Kong

Aeroporto de Hong Kong. Foto: LeeYiuTung/Getty Images

6º Hamad, Doha, Catar

7º Nagoya, Japão

Aeroporto de Nagoya (Chubu Centrair). Foto: Getty Images

8º Zurique, Suíça

9º Heathrow, Londres, Reino Unido

10º Frankfurt, Alemanha

Leia também:
Passageiros dizem quais os melhores aeroportos do mundo para esperar um voo

Praias, rios, florestas e neve; pilotos escolhem aeroportos mais bonitos

]]>
6
Aérea cobra US$ 10 por cobertor, idoso com frio reclama e é expulso do voo http://todosabordo.blogosfera.uol.com.br/2017/03/10/aerea-cobra-us-10-por-cobertor-idoso-com-frio-reclama-e-e-expulso-do-voo/ http://todosabordo.blogosfera.uol.com.br/2017/03/10/aerea-cobra-us-10-por-cobertor-idoso-com-frio-reclama-e-e-expulso-do-voo/#comments Fri, 10 Mar 2017 15:17:48 +0000 http://todosabordo.blogosfera.uol.com.br/?p=5181

Avião da Hawaiian Airlines. Foto: mixmotive/Getty Images

Uma discussão por causa da cobrança de um cobertor levou a companhia aérea americana Hawaiian Airlines a desviar um voo que ia de Las Vegas (EUA) para o Havaí. Um passageiro que havia pedido um cobertor reclamou ao saber que teria de pagar US$ 10 (cerca de R$ 32).

O homem de 66 anos, que não foi identificado, disse que não deveria pagar pelo objeto porque estava muito frio a bordo. Irritado, ele pediu o telefone da sede da companhia para fazer uma reclamação, e disse que queria punir alguém pela situação. Segundo a imprensa dos Estados Unidos, não houve agressões físicas.

Diante da situação, o piloto decidiu aterrissar no aeroporto de Los Angeles (EUA), para que o homem fosse retirado do avião. As autoridades no aeroporto informaram que o homem não representava ameaça e o liberaram sem nenhuma acusação. Ele pôde então continuar a viagem ao Havaí por outra companhia aérea.

O incidente ocorreu na quarta-feira (8). O voo que havia partido de Las Vegas inicialmente às 8h44 voltou a decolar de Los Angeles somente às 14h46.

No Brasil, a cobrança por bagagem despachada tem sido alvo de muitas discussões. A nova regra está prevista para entrar em vigor na próxima terça-feira (14), e várias companhias aéreas já anunciaram a intenção de cobrar pelas malas. O Ministério Público Federal em São Paulo e órgãos de defesa do consumidor querem anular a decisão.

Passageiro indisciplinado

A companhia aérea americana afirmou ao UOL que desviar um voo “claramente não é a primeira opção”. “Mas, neste caso, o comandante decidiu que o melhor a ser feito era pousar o avião em Los Angeles e remover o passageiro em questão”.

A assessoria de imprensa da Hawaiian Airlines informou que a notificação sobre um passageiro indisciplinado a bordo ocorreu cerca de uma hora depois da decolagem. Disse ainda “desconhecer a conduta do passageiro, o que foi dito, ou o tom”.

“Acho importante nos colocarmos na posição do comandante, que está na cabine prestes a iniciar um voo de cinco horas sobre o Pacífico, quando é informado de uma questão no avião. Nossos tripulantes são responsáveis pela segurança e conforto de todos os passageiros e o piloto a quem determina quando é melhor desembarcar um passageiro indisciplinado”.

Cobrança de extras

Autoridades disseram que o cobertor custava US$ 12 (quase R$ 40), mas o item aparece no site da aérea por US$ 10. Além do pagamento pela peça avulsa, a companhia inclui o cobertor como um dos itens disponibilizados para quem paga pelo assento com espaço extra. O preço varia de acordo com o roteiro de viagem, começando em US$ 80 (R$ 255) a mais no valor da passagem.

Outras companhias aéreas dos Estados Unidos também cobram por extras deste tipo. Na lista de opcionais da JetBlue, por exemplo, itens como fone de ouvido, cobertor e travesseiro saem por US$ 5 (R$ 16) ou US$ 6 (R$ 19).

Leia também:
Ministro diz que se passagem não cair, cobrança de bagagem pode ser revista

Nova tendência? Econômica ‘básica’ não dá direito a usar bagageiro do avião

Chateado com cobrança de mala? Aéreas de fora taxam até check-in presencial

Aéreas faturam US$ 26 bi com serviços como venda de lanche e bagagem extra

]]>
34
Cigarro a bordo, visita a piloto, caviar no lanche: lembre voos do passado http://todosabordo.blogosfera.uol.com.br/2017/02/07/cigarro-a-bordo-visita-a-piloto-caviar-no-lanche-lembre-voos-do-passado/ http://todosabordo.blogosfera.uol.com.br/2017/02/07/cigarro-a-bordo-visita-a-piloto-caviar-no-lanche-lembre-voos-do-passado/#comments Tue, 07 Feb 2017 06:00:46 +0000 http://todosabordo.blogosfera.uol.com.br/?p=4934 Na falta de um GPS, o jeito éra mostrar a rota em um globo (Foto: Facebook/KLM)

Na falta de um GPS, o jeito éra mostrar a rota em um globo (Foto: Facebook/KLM)

Fumar a bordo, visitar a cabine de pilotos durante o voo, voar em linhas comerciais em hidroaviões ou mesmo ter um banquete à sua disposição são coisas impensáveis nos voos atuais. Mas esses eram hábitos bastante comuns nos voos do passado.

Por motivos de segurança, corte dos custos das companhias aéreas ou mesmo pelo avanço da tecnologia, empresas e passageiros foram obrigados a mudar seus serviços e atitudes durante os voos comerciais. Relembre alguma dessas curiosidades.

Fumar a bordo

Fumar era permitido pelas companhias aéreas (Foto: Airline Ratings)

Fumar era permitido pelas companhias aéreas (Foto: Airline Ratings)

Se hoje a lei é bastante rígida quanto a fumar em ambientes fechados, já houve uma época na qual era permitido fumar até mesmo a bordo dos aviões. No Brasil, até 1997, os passageiros podiam acender o cigarro em qualquer momento do voo. O máximo que as companhias aéreas faziam era reservar as últimas fileiras para os fumantes. Mas, claro, a fumaça se espalhava por todo o avião.

As primeiras restrições começaram em março de 1997, quando o antigo DAC (Departamento de Aviação Civil) proibiu o fumo a bordo somente na primeira hora de voo. E quando os avisos de proibido fumar eram desligados, todos os fumantes acendiam os cigarros ao mesmo tempo.

A proibição total só começou a valer em 1998, após uma liminar de um juiz federal do Rio Grande do Sul. A decisão só liberava o fumo a bordo se houvesse um isolamento total da área de fumantes. Desde o início, porém, as companhias já avisaram que não pretendiam criar esse isolamento e que não recorreriam da liminar, acatando a decisão judicial.

Hoje em dia, a legislação federal também proíbe o fumo em lugares fechados. Independentemente da legislação nacional, todas as companhias aéreas do mundo já adotam a prática de proibição completa a bordo.

Visitas à cabine de pilotos

Foto: Divulgação/Airbus

Foto: Divulgação/Airbus

Quando o avião se estabilizava em altitude de cruzeiro, crianças e adultos invadiam a cabine dos pilotos. No período de voo como menos trabalho para os pilotos, era a oportunidade para os passageiros conhecerem como funcionava a pilotagem de um avião.

Essa era uma tática, também, das aeromoças acalmarem as crianças. E os pais não perdiam a oportunidade de acompanhar os filhos. Em geral bastante solícitos, os pilotos tiravam fotos e explicavam as dúvidas dos passageiros (e até os convidavam para fazer a visita).

A prática mudou radicalmente após os ataques terroristas do 11 de setembro de 2001. A partir do sequestro dos aviões em Nova York, a aviação mundial passou a obrigar os pilotos a manterem as portas da cabine trancadas durante todo o voo. Hoje, só quem tem acesso são os membros da tripulação.

Voos comerciais com hidroaviões

Hidroavião Boeing 314 da americana Pan Am (Foto: National and Air Space Museum)

Hidroavião Boeing 314 da americana Pan Am (Foto: National and Air Space Museum)

Nos primórdios da aviação, as viagens de longa distância eram o principal desafio para as companhias aéreas. Com aviões sem muita autonomia e poucos lugares com infraestrutura, a alternativa era utilizar grandes aviões que pousavam na água, os hidroaviões.

A Panair do Brasil, por exemplo, iniciou suas operações com oito hidroaviões dos modelos Consolidated Commodore e Sikorsky S-38. Em 1939, a americana Pan-Am realizou o primeiro voo transcontinental com um Boeing B-314.

Em 1941, o mesmo avião realizou o primeiro voo comercial de volta. Durante a viagem, o avião fez uma parada no Brasil, na cidade de Natal (RN).

Máquina de escrever no lugar do notebook

Executivos tinham de trabalhar com máquinas de escrever (Foto: Facebook/KLM)

Executivos tinham de trabalhar com máquinas de escrever (Foto: Facebook/KLM)

Antes da existência de smartphones, tablets e notebooks, os executivos que não podiam parar de trabalhar enquanto se deslocavam durante o voo, tinham como única opção levar a bordo as antigas máquinas de escrever.

Em alguns casos, os executivos viajavam acompanhados de suas secretárias. Eram elas que faziam o trabalho de datilografia durante o voo. Muitos aviões não tinham nem mesmo as mesinhas de refeição. Assim, a máquina de escrever tinha de ser apoiada nas pernas. Pelo menos, as poltronas eram mas espaçosas.

Engenheiros de voo

Engenheiros de voo foram extintos dos aviões modernos (Foto: PanAm Historical Foundation)

Engenheiros de voo foram extintos dos aviões modernos (Foto: PanAm Historical Foundation)

A modernização dos aviões extinguiu uma das mais importantes profissões a bordo da cabine de comando dos antigos aviões. Os engenheiros de voo sentavam atrás dos pilotos e de frente para um painel lotado de botões. Eles eram responsáveis por controlar todos os sistemas do avião e fazer inúmeros cálculos, desde o tempo de voo, consumo de combustível e melhor rota.

Conforme os aviões ganharam sistemas informatizados, a cabine de comando perdeu um de seus tripulantes. Dos aviões ainda em operação no mundo, um dos poucos que ainda exige um engenheiro de voo a bordo é o gigante Antonov An-225, o maior do mundo. O avião foi produzido pela antiga União Soviética entre 1984 e 1988.

Refeições eram um grande banquete

Serviços de bordo tinha várias opções de comida (Foto: Facebook/KLM)

Serviços de bordo tinha várias opções de comida (Foto: Facebook/KLM)

Viajar de avião não era simplesmente se deslocar de uma cidade a outra com mais agilidade. As viagens tinham todo um glamour (e preços bem mais altos também). O momento das refeições era o auge do voo.

Com louças de porcelana, talheres de metal e copos de vidro, o serviço de bordo era requintado até mesmo para os passageiros da classe econômica. As extintas Vasp e Transbrasil serviam até mesmo feijoada em seus voos, enquanto a Varig era conhecida pelo caviar na primeira classe.

A sofisticação a bordo era um padrão das principais companhias aéreas de todo o mundo. Para popularização da aviação, no entanto, as empresas passaram a reduzir cada vez mais seus custos. Um dos pontos mais afetados foi justamente o serviço de bordo. Hoje, são comuns as empresas que cobram pelo lanchinho.

Leia também:

Quer voar no gigante A380, que terá voos diários de SP? Veja rotas e preços

Você tem ideia de quanto custa um avião de linhas comerciais normais?

Por que quase todos os aviões são brancos?

]]>
10
Onde há mais passageiros de avião no mundo? EUA, Europa, Coreia ou Vietnã? http://todosabordo.blogosfera.uol.com.br/2016/12/27/onde-ha-mais-passageiros-de-aviao-no-mundo-eua-europa-coreia-ou-vietna/ http://todosabordo.blogosfera.uol.com.br/2016/12/27/onde-ha-mais-passageiros-de-aviao-no-mundo-eua-europa-coreia-ou-vietna/#comments Tue, 27 Dec 2016 08:00:50 +0000 http://todosabordo.blogosfera.uol.com.br/?p=4579 Jeju, na Coreia do Sul. Ligação com Seoul é a mais movimentada do mundo (Foto: Maristela do Valle/UOL)

Jeju, na Coreia do Sul, atrai turista por conta de suas belezas (Foto: Maristela do Valle/UOL)

Os Estados Unidos e a Europa concentram os maiores mercados da aviação comercial no mundo. Com isso, seria natural imaginar que as rotas mais congestionadas seriam as que ligassem cidades norte-americanas ou europeias. A realidade, no entanto, é bem diferente disso.

Um estudo da empresa de análise de aviação OAG, do Reino Unido, coloca no topo da lista uma cidade que a maioria das pessoas nunca sequer ouviu falar. A rota entre Jeju e Seoul, ambas na Coreia do Sul, conta com o maior fluxo de passageiros no mundo.

Por ano, as viagens de avião de Jeju a Seoul levam mais de 6,5 milhões de passageiros. A rota chega a ter mais de cem voos em um único dia, apenas em um sentido. Embora desconhecida no ocidente, a ilha de Jeju é um dos principais destinos para casais em lua-de-mel e amantes da natureza na Ásia.

Os voos ligando cidades europeias e norte-americanas não entram nem mesmo entre as dez maiores em relação ao número de passageiros por ano. Das dez rotas mais movimentadas do mundo, nove estão presentes na Ásia. Completa a lista um voo entre as cidades de Melbourne e Sydney, na Austrália.

Tóquio é a cidade que concentra as rotas mais congestionadas do mundo. Três rotas ligando a capital japonesa estão entre as dez mais movimentadas. Os maiores fluxos são de Tóquio a Sapporo, Fukuoka e Okinawa.

A lista guarda ainda outras surpresas. Na sétima colocação, está a ligação entre duas cidades vietnamitas: Ho Chi Minh e Hanói. Já em nono lugar, aparece a rota entre Surabaia e Jacarta, ambas na Indonésia.

A ponte aérea Rio-São Paulo ocupava no ano passado a décima colocação. Com a crise e a redução de voos de todas as companhias brasileiras, no entanto, a rota saiu da lista. A OAG divulga apenas o ranking das dez maiores.

As dez rotas mais movimentadas

1) De Jeju a Seoul, na Coreia do Sul (6.561.314 passageiros)

2) Sapporo a Tóquio, no Japão (6.209.366 passageiros)

3) Fukuoka a Tóquio, no Japão (5.961.277 passageiros)

4) Melbourne a Sydney, na Austrália (5.067.167 passageiros)

5) Taipei a Hong Kong, na China (4.146.547 passageiros)

6) Nova Déli a Mumbai, na Índia (4.143.639 passageiros)

7) Ho Chi Minh a Hanói, no Vietnã (4.141.322 passageiros)

8) Pequim a Xangai, na China (3.962.081 passageiros)

9) Surabaia a Jacarta, na Indonésia (3.849.866 passageiros)

10) Tóquio a Okinawa, no Japão (3.784.546 passageiros)

Leia também:

Os novos aviões e helicópteros que voaram pela primeira vez em 2016

Congonhas é o aeroporto com mais conexões de voos da A. Latina, diz ranking

Praias, rios, florestas e neve; pilotos escolhem aeroportos mais bonitos

]]>
10
Piloto pede passageira em casamento em pleno voo http://todosabordo.blogosfera.uol.com.br/2016/11/04/piloto-pede-passageira-em-casamento-em-pleno-voo/ http://todosabordo.blogosfera.uol.com.br/2016/11/04/piloto-pede-passageira-em-casamento-em-pleno-voo/#comments Fri, 04 Nov 2016 17:38:46 +0000 http://todosabordo.blogosfera.uol.com.br/?p=4027 Piloto Dooley Ellis coloca a aliança na noiva Ana (Imagem: Reprodução/Facebook)

Piloto Dooley Ellis coloca a aliança na noiva Ana (Imagem: Reprodução/Facebook)

Um piloto australiano da companhia aérea Qantas surpreendeu todos os passageiros do voo que comandava entre Melbourne, na Austrália, e Los Angeles, nos EUA, com um pedido especial.

Após passar informações sobre o voo, o comandante Dooley Ellis pediu a namorada colombiana Ana em casamento por meio do sistema de som do avião. O momento foi gravado por duas câmeras, uma dentro da cabine do piloto e outra na primeira classe, onde Ana viajava.

“Nós temos uma passageira muito especial a bordo hoje. O nome dela é Ana. Ela está viajando para a América do Sul para visitar a sua família e quero ter certeza de que ela volte para mim na Austrália”, anunciou.

Enquanto Ana ouvia atentamente o recado, Ellis fez o grande pedido. “Agora que eu tenho a atenção completa dela, Ana quer casar comigo?” O pedido de casamento foi feito em espanhol e em inglês.

Logo em seguida, o piloto saiu da cabine de comando com um buquê de flores para entregar à noiva. Depois que Ana aceita o pedido, ele se ajoelha para colocar a aliança de noivado.

O comandante Dooley Ellis é piloto da Qantas há 30 anos e atualmente voa em um Airbus A380.

Veja abaixo o momento do pedido de casamento em pleno voo (em inglês).

Leia mais:

Sempre viajando, comissários de bordo enfrentam dificuldades para namorar

Fetiche de homens por aeromoças pode ter explicação que vai além da beleza

Piloto se aposenta após 40 anos e leva o filho em seu último voo; veja

]]>
3