Todos A Bordo

Museu de aviação de Washington tem avião “concorrente” de Santos-Dumont

Todos a Bordo

Avião dos irmãos Wright no Museu Aeroespacial em Washington (Foto: Eric Long/Smithsonian/Divulgação)

Avião dos irmãos Wright no Museu Aeroespacial em Washington (Foto: Eric Long/Smithsonian/Divulgação)

A capital dos Estados Unidos tem muitos museus. Um deles é um prato cheio para quem gosta de aviação. O Museu Nacional Aeroespacial da fundação Smithsonian atraiu mais de 8 milhões de visitantes no ano passado para conferir uma enorme coleção de aviões históricos, que inclui o lendário Flyer I, com o qual os irmãos Wright voaram em 1903.

Os irmãos norte-americanos contam com uma sala inteira com detalhes de seus feitos pela aviação. Para os brasileiros, resta uma pitadinha de Santos-Dumont, na forma de material fotográfico biográfico e referências ao dirigível número 9 e ao 14-Bis. Material não tão evidente entre os mais de 63.000 objetos em exposição.

“Não podemos ter uma ala inteira do museu dedicada a Santos-Dumont, mas ele está aqui”, diz o curador-chefe Peter Jakab, citando o motor do dirigível e um modelo do famoso avião do brasileiro que integram o acervo. Sobre a polêmica em torno da invenção do avião, ele obviamente defende a versão dos americanos, mas não deixa de tecer elogios ao brasileiro. Para Jakab, os irmãos Orville e Wilbur Wright de fato fizeram o primeiro voo em 1903, sem a ajuda de uma catapulta para decolar, o que os torna os pioneiros da aviação.

“Eu nunca entendi de onde vem essa dúvida. Eu acho isso ruim, porque nos afasta do significado de Santos-Dumont. Ele realmente fez muitas coisas importantes para a aviação. Se nos preocuparmos demais com essa questão sobre se os seus voos precederam o dos irmãos Wright – o que obviamente não ocorreu -, isso não diminui sua importância. Eu prefiro me concentrar nas coisas importantes que ele fez em vez dessa ideia peculiar de que os irmãos Wright não voaram antes de 1906”.

Ala sobre a aviação comercial no Museu Aeroespacial em Washington (Foto: Eric Long/Smithsonian Institution/Divulgação)

Ala sobre a aviação comercial no Museu Aeroespacial em Washington (Foto: Eric Long/Smithsonian Institution/Divulgação)

Concorde e 707

Saltando para um período mais recente da aviação, o National Air and Space Museum tem exemplares bem interessantes em exposição. Um deles é um protótipo do Boeing 367-80, ou “Dash 80”, que se tornaria o primeiro jato civil a ter sucesso no mercado da aviação comercial. O exemplar está em um prédio em Chantilly, na Virgínia, que complementa o espaço do museu em Washington.

Em dois hangares, além do clássico da fabricante norte-americana, também está exposto o supersônico Concorde, modelo que deixou de voar em 2003. Um ônibus espacial Discovery também pode ser visto pelos visitantes.

Para quem busca informação sobre a corrida espacial e o programa Apollo, o museu em Washington tem itens curiosos, como roupas usadas por astronautas e detalhes sobre a vida no espaço – alimentação, higiene, repouso, organização, são algumas das situações abordadas.

MAIS INFORMAÇÕES
Smithsonian National Air and Space Museum
Sitehttps://airandspace.si.edu/
Endereço em Washington: Independence Ave at 6th Street, SW (EUA)
Endereço na Virginia: 14390 Air and Space Museum Parkway Chantilly
Horário: todos os dias, das 10h às 17h30 – Os dois museus têm horário ampliado de funcionamento na alta temporada durante a primavera e o verão. Confira no site.
Ingressos: entrada gratuita

Leia também: Museu dos EUA que possui ícones da aviação como Concorde quer ter 14-Bis

(Claudia Andrade)